Prefeitura certifica 121 organizações com o Selo da Diversidade Étnico-Racial

0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal da Reparação (Semur), realizou nesta terça-feira (10) a 13ª edição da outorga do Selo da Diversidade Étnico-Racial. A cerimônia aconteceu no Quality Hotel, no Stiep, reunindo membros de organizações públicas, privadas e da sociedade civil que executam ações de promoção de equidade racial nas políticas de gestão de pessoas e marketing dentro dos ambientes de trabalho. O evento também contou com as presenças do vice-prefeito Bruno Reis e da titular da Semur, Ivete Sacramento.

Neste ano, 121 organizações foram certificadas nas categorias Reconhecimento e Compromisso. Bruno Reis destacou que o selo tem o objetivo de conscientizar e chamar as organizações privadas para realizar, em conjunto com esferas públicas, políticas de inclusão e reparação. “O poder público pode dar um norte, mas não é capaz resolver sozinho todos os problemas. Por isso, é necessário darmos as mãos para pôr em prática iniciativas de igualdade racial e de valorização da diversidade”, disse.

O vice-prefeito lembrou que, desde 2013, Salvador tem realizado ações para impulsionar o desenvolvimento social e econômico da população negra da cidade. “Temos feito capacitações de gestores e servidores da Prefeitura através do Programa de Combate ao Racismo Institucional (PCRI). Também lançamos, recentemente, o plano de turismo étnico-racial, que vai ofertar a milhares de turistas e visitantes a cultura, os costumes e valores da nossa população negra, gerando oportunidades de emprego e renda”.

A administração municipal hoje possui uma política de cotas, que destina 30% dos cargos, dos contratos terceirizados e vagas nos concursos para afrodescendentes. “Aprovamos este ano o Estatuto da Igualdade Racial e concedemos benefícios fiscais aos terreiros de matriz africana. Na área de infraestrutura, estamos fazendo uma grande intervenção no Curuzu, que é símbolo da negritude da cidade. Da mesma forma, começamos a implantação do Parque da Pedra de Xangô, em Cajazeiras”, afirmou Reis.

 

Compromisso – Criado em 2007 pela Semur, o Selo da Diversidade faz parte do Planejamento Estratégico da Prefeitura desde 2013. Representa uma política pública de sensibilização das organizações para valoração da diversidade étnico-racial. Neste ano, a pasta implantou um novo sistema que gera indicadores, monitoramento e avaliação dos planos de trabalho.

A secretária da Reparação, Ivete Sacramento, frisou que o Selo Diversidade Étnico-Racial é uma ação afirmativa para o enfrentamento às desigualdades. “Todas as empresas aqui têm que assinar o compromisso de combater o racismo e promover a inclusão das pessoas negras, principalmente jovem, no seio de cada instituição”.

Categorias – As empresas podem ser certificadas nas categorias Compromisso e Reconhecimento. Na primeira, as instituições se comprometem a cumprir diretrizes voltadas para a promoção da Diversidade Étnico-Racial, além de entregarem o Diagnóstico Censitário e o Plano de Trabalho. Entre as empresas premiadas nessa modalidade estão a Associação Comercial da Bahia, Faculdade Montessoriano, Grupo TPC, Laboratório Sabin e shoppings Salvador, Center Lapa, Barra, Piedade, da Bahia e Itaigara, entre outras organizações.

A categoria Reconhecimento é uma honraria concedida pelo Comitê Gestor a micro e pequenas empresas, em geral familiares, cujo proprietário e/ou administrador seja negro e que possua, no mínimo, cinco funcionários, sendo, na maioria, negros, além de entidades sem fins lucrativos que lutem pela valorização da diversidade. Entre as detentoras do selo nessa categoria estão Instituto Mulherada, Cantina da Lua, Katuka Africanidade e Associação de Cultura e Arte.

FONTE: SECOM

0
0
0
s2sdefault