CMS aprova projeto que institui Dia em Memória aos Mártires da Revolta dos Búzios

0
0
0
s2sdefault

A Câmara de Vereadores aprovou na última quarta-feira (2) um projeto que institui o 8 de novembro como Dia Municipal em Memória aos Mártires da Revolta dos Búzios. O texto é de autoria de Marta Rodrigues (PT), e homenageia Luís Gonzaga das Virgens Veiga, João de Deus do Nascimento, Manuel Faustino dos Santos Lira e Lucas Dantas de Amorim Torres, todos enforcados e esquartejados exatamente no dia 8 de novembro de 1799, na Praça da Piedade.

“A criação de um dia para homenageá-los é uma forma de diminuir o processo de invisibilização ao qual o povo negro foi submetido desde o descobrimento do Brasil”, explicou a parlamentar. “Até hoje, os livros de história do país continuam a recusar o protagonismo do povo negro na luta pela justiça social e pelo fim da escravidão por causa do olhar colonizador que toma conta do país. Leis como esta contribuem para valorizar a nossa verdadeira história”, acrescentou.

HISTÓRIA

Também conhecida como Revolta dos Alfaiates ou Conjuração Baiana, o movimento, influenciado pela Inconfidência Mineira e com inspirações no Iluminismo, tinha seis pautas principais: abolição da escravatura, proclamação da República, diminuição dos impostos, abertura dos portos, fim do preconceito e aumento salarial.

Após investigações, os quatro foram condenados à morte. Pela sentença, eles tiveram os seus nomes e memórias considerados como "malditos" até à terceira geração. Após isto, partes dos corpos dos mártires foram expostas durante cinco dias em quatro pontos da cidade – a Lucas Dantas ficou espetada no Campo do Dique do Desterro; a de Manuel Faustino, no Cruzeiro de São Francisco; a de João de Deus, na Rua Direita do Palácio (atual Rua Chile); e a cabeça e as mãos de Luís Gonzaga ficaram pregadas na forca, levantada na Praça da Piedade.

0
0
0
s2sdefault