Curta em stop motion baiano traz mito da criação do universo contado por orixás

0
0
0
s2sdefault

O mito da criação do universo contado pelos orixás poderá ser visto em um curta-metragem que está sendo produzido nas cidades de Salvador e Camaçari. Intitulado "Órun Àiyé", o filme será feito através da técnica de animação do stop motion, que consiste em "emendar" uma série de fotografias. Por isso, para chegar aos 12 minutos de duração, serão necessários mais de 25 mil cliques.

A religiosidade afro-brasileira será abordada a partir da contação de histórias, tendo a figura do historiador Ubiratan Castro de Araújo (1948-2013) como o griôt – narrador das lendas envolvendo deuses africanos como Olodumaré, Oxalá, Orunmilá, Ododuwa, Nanã e Exu.

Recursos como audiodescrição, subtitulação e janela de Libras estarão disponíveis para o público surdo e cego. O curta também vai ser traduzido em cinco línguas – português, inglês, francês, espanhol e yorubá.

Para as diretoras da obra, as cineastas Jamile Coelho e Cintia Maria, a animação será um instrumento de educação, combate ao racismo e à intolerância religiosa em meio às crianças e jovens. “Esse material paradidático permitirá às crianças e jovens a ampliação da noção de cultura negra trazida da África para o Brasil, proporcionando uma educação que reconheça e valorize a diversidade, comprometida com as origens do povo brasileiro”, afirma Jamile Coelho.

Assinado pela produtora baiana Estandarte Produções, o curta ainda conta com o doutor em Música pela UFRJ, Guilherme Maia na direção musical, cenografia do premiado Léo Furtado e Mônica Terra Lima, o músico e produtor musical, André T. na mixagem e desenho de som, animação (2D) do renomado Mateus Di Mambro, painéis do grafiteiro Eder Muniz (Calangos) e bonecos do artista plástico, Leonardo Muela (Minhocas).

 

Fonte: Correio da Bahia

0
0
0
s2sdefault